Como foi o fanmeeting do UNIQ em São Paulo?? Unicorns surtando! <3

Texto e fotos: Cah Rangel

Tem Unicorns por aí?

Bom, aqui tem uma Unicorn recém-nascida, posso dizer. Digo recém-nascida porque não conhecia o grupo até o anúncio do show e mesmo assim decidi ir. Sempre que possível, gosto de ir aos shows de k-pop mesmo não conhecendo os artistas. Isso é importante para engrossar a massa de fãs na plateia porque como sabemos, quanto mais público, mais show. A matemática é simples.

Enfim, depois de ter comprado meus ingressos (fan meeting e fansign) eu pesquisei um pouco sobre o grupo, ouvi algumas músicas e decidi que poderia ser divertido ir ao show, porque afinal show de k-pop é sempre muito divertido. Mas nada havia me preparado para o que aconteceu lá e eu vou contar pra vocês aqui com o máximo de detalhes que meu cérebro eletrizado permitir. Mas primeiro, deixe-me apresentar o grupo para aqueles leitores que talvez ainda não o conheça.

O UNIQ é um grupo sino-coreano (o que quer dizer que nele há membros chineses e coreanos) composto por cinco membros e que debutou em 16 de outubro de 2016. Seus membros são Yixuan, WenHan e Yibo (chineses) e (SeungYoun e SungJoo) que são sul-coreanos.

Uma curiosidade e algo que foi decisivo para me incentivar a conhecer o grupo é o fato de que o membro SeungYoun já morou no Brasil e encanta os fãs com seu português um pouco confuso, mas absolutamente adorável. SeungYoun ou Luizinho como ele gosta de ser chamado pelos fãs brasileiros, morou em São Paulo durante uma parte de sua infância, quando atuou nas categorias de base do Corinthians e ao que parece nunca esqueceu do país que o acolheu.

O UNIQ tem uma vibe vibrante e festiva, com bom hip-hop e belas melodias. É uma ótima opção para quem gosta de uma boa festa.

Voltando ao evento, pelo que eu soube, desde o dia 25/06 (sexta-feira) já havia pessoas na fila. Eu cheguei ao local por volta das seis da manhã do dia 26/06, data do evento. O tempo estava nublado e fazia muito frio, mas já havia um número considerável de pessoa na fila. Felizmente, mais tarde, o sol apareceu e esquentou até demais.

Os meninos chegaram ao local após as 13hs depois cumprirem alguns compromissos pela manhã. Na fila as fãs ficavam acompanhando as redes sociais e descobriram que eles foram a um restaurante para uma gravação e várias fotos deles nas ruas da cidade começaram a surgir. Quando eles chegaram ao local do show nós pudemos ver a van que os trazia e logo nesse primeiro contato, foi possível perceber a simpatia deles. Com a ajudinha providencial do sol, que brilhava forte naquela tarde, nós conseguimos ver as mãos acenando para nós através do vidro escuro do carro. A passagem foi rápida, mas agitou os fãs que começaram a cantar os sucessos do grupo enquanto aguardavam a hora da entrada. Um pouco mais tarde era possível ouvir o som do que parecia ser a passagem de som ou o ensaio deles do lado de fora.

Cerca de duas horas depois, os fãs com ingresso para o fansign foram autorizados a entrar na casa. Lá dentro, várias cadeiras estavam enfileiradas e as pessoas iam se sentando por ordem de entrada e à frente dessas cadeiras estava a mesa onde os membros se sentariam. Não demorou muito para que todos os assentos fossem preenchidos. Havia pelo menos 200 pessoas ali ansiosas para o início, inclusive eu que não sabia o que esperar daquilo tudo. As meninas que estavam perto de mim estavam extremamente nervosas, com as mãos geladas e algumas querendo chorar.

Quando os membros do grupo surgiram foi aquela gritaria como esperado. Eles vieram do andar de cima, deram a volta pelo local onde ficava o camarote e desceram uma escada até chegar à mesa reservada a eles. E a sensação que eu tinha é que tudo estava em câmera lenta. Eram quatro caras lindos e bem vestidos caminhando, e aquilo parecia um desfile de moda com tanta beleza junta. A minha surpresa já começou aí. Eles caminharam sorrindo e acenando todo o tempo, pareciam estar se divertindo com a nossa euforia e quando sentaram na nossa frente, uma amiga virou para mim e disse: como eles podem ser mais bonitos pessoalmente do que nas fotos? Não sei a resposta, não sei mesmo, mas é fato que eles são ainda mais bonitos pessoalmente. Nada de quilos de maquiagem ou photoshop. Os meninos do UNIQ conseguiram me surpreender com uma beleza natural e naquele momento eu entendi porque ninguém conseguia tirar os olhos deles.

Depois de cada um dos membros se apresentar e Luizyn (é assim que ele escreve em sua conta no Instagram) agraciar as fãs com mais de seu português super fofo (vou usar muito essa palavra porque não encontro uma que defina melhor), o fansign teve início com as fãs sendo conduzidas em grupos de cinco até a frente da mesa onde os meninos estavam sentados na seguinte ordem: Sungjoo, Yixuan, Luizyn e Yibo. O quinto integrante do grupo e um dos mais esperados pelo que pude perceber ao conversar com as fãs na fila, o vocal Wen Han, não pode comparecer ao evento devido a compromissos na China.

A ausência de Wen Han, embora sentida, não fez perder o brilho do evento. Ele foi lembrando pelas fãs que gritaram os nomes de cada um dos membros ali e não esqueceram o dele.

O fansign foi seguindo e eu pude ver ao vivo tudo aquilo que antes só via através de fancams gravadas do outro lado do mundo. As mais variadas reações podiam ser observadas. Lágrimas, sorrisos imensos, euforia, quase desmaios, timidez e muita felicidade era o que podíamos ver nos rostos de cada um dos fãs que atravessava o salão após passar pelos membros com seus pôsteres para assinatura e o card já com o autógrafo do Wen Han que foi dado como presente.

Eu estava na quinta fileira tentando me acalmar e não ser contagiada pelo nervosismo da menina que estava ao meu lado e que se tornou minha amiga e consultora nos assuntos relacionados ao UNIQ ao longo daquela maratona. Muito obrigada Marianna! Ela seria a primeira do nosso grupo e estava trêmula. A fila anterior já havia terminado e nós não conseguíamos avistar ninguém do staff para saber se podíamos ir ou não. A agonia e incerteza não durou muito, mas pareceu uma eternidade. Quando a staff nos chamou, caminhamos rapidamente para o local e em fila nos aproximamos deles. Sungjoo, como eu já disse, era o primeiro e enquanto eu observava o carinho com que ele tratava a menina enquanto ela entregava o presente a ele, ficava pensando no que eu diria quando chegasse a minha vez. Eu não fazia ideia de como me comportar. Fiquei feliz ao perceber que ele falava inglês e respirei aliviada por saber que pelo menos um “oi” eu poderia falar.

Quando chegou a minha vez, eu me aproximei e fui agraciada por um sorriso maravilhoso do Sungjoo e naqueles poucos segundos eu me lembro de pensar “Meu Deus como é lindo”. Ele me cumprimentou com um “Hello” e eu entreguei o pôster a ele. Sungjoo me perguntou qual era o meu nome (vi que ele fez isso com absolutamente todos os fãs) ele repetiu o meu nome depois de eu dizer e para facilitar eu soletrei para ele, que repetiu cada letra que eu dizia e escreveu certinho o meu nome na dedicatória que fez. Eu agradeci e sorri para ele que me sorriu de volta. Dizem que não é você que escolhe o bias, mas ele que te escolhe. Eu concordo. Então, foi assim que o Sungjoo me escolheu. ♥♥ ♥

O próximo foi o festivo e surpreendente Yixuan. Digo festivo porque ele não parou de brincar e interagir com os fãs por um segundo sequer mesmo enquanto estava assinando pôsteres. E surpreendente porque, pelo que ouvi dos fãs, ninguém esperava que ele fosse assim pessoalmente. Sorriso fácil, rosto de anjo, o rapaz foi extremanente extrovertivo e conquistou fácil o meu coração e o de muita gente ali. Yixuan me cumprimentou em português e segurou minha mão logo depois de assinar meu pôster, eu agradeci e ele sorriu ainda mais. Lindo de morrer.

Quando dei mais dois passos e me coloquei de frente para o Luizyn, acho que nunca vou chamá-lo pelo nome real, porque afinal é muito bom sentir um idol tão próximo de você ao ponto de parecer um vizinho do seu bairro. E é exatamente isso o que esse menino faz. Quando parei na frente dele recebi um daqueles sorrisos largos que fazem os olhinhos dele parecerem ainda menores do que são e que o deixam MUITO fofo. Tive que controlar muito minha vontade de agarrar ele e apertar bem forte. Ele disse: “oi, tudo bem? ” E eu respondi: “tudo bem e você? ” Ele: “tudo bem também “. E eu sorri tão largo quanto ele, quase morrendo com tanta fofura. Me arrisquei a conversar mais e disse que era um prazer finalmente conhecê-lo pessoalmente e ele me disse que era um prazer me conhecer também. Tudo em português e eu fiquei babando nele sim, não nego. Ele é fofo e carismático demais e é impossível não se sentir familiarizado e totalmente à vontade com ele. Não que os outros não tivessem feito o mesmo, mas a barreira da língua dificulta um pouco as coisas e quando você consegue se comunicar diretamente com o idol, tudo é festa e amor.

Passei pelo Luizyn e fui encarar o Yibo. Um menino, literalmente. Só depois fui saber que ele é o maknae do grupo e que ele é o mais sério também. Ouvi de algumas meninas que o jeito dele, às vezes, é mal interpretado pelas pessoas, mas que ele é um amor, só que muito tímido. A diferença de fato foi gritante. Minha interação com ele foi bastante rápida e embora houvesse sorrisos da parte dele e da minha, não rolou muito mais do que isso e um agradecimento no final, que ele fez em português e eu de forma automática, respondi em inglês.

Não me chateei com o comportamento do Yibo porque só de observá-lo durante o tempo em que fiquei lá sentada esperando a minha vez, entendi que ele é tímido quando está próximo de estranhos e eu compreendo isso. Ele foi gentil como os outros, só que bem mais contido. A timidez não impediu que ele interagisse com as meninas sentadas na primeira fila que o chamavam a todo instante e ele respondia fazendo gestos de coração com os dedos e os braços. Em um certo momento, ele estava distraído demais assinando um poster e as meninas chamavam tanto ele que o Luizyn interveio pegando os braços dele por trás e erguendo para formar um coração e responder às fãs que gritaram enlouquecidas enquanto ambos sorriam.

Eu voltei para o meu lugar rindo à toa e super feliz carregando o meu pôster e meu card assinados pelos lindos e passei o resto do fansign conversando com as fãs e tentando superar a fofura deles. Enquanto aguardávamos o fim do fansign, descansávamos até o horário do fan meeting que estava programado para começar às 19 horas.

Terminado o fansign, os meninos foram “desfilando” para o camarim e a pista foi arrumada para receber o público em geral. As cadeiras foram retiradas e o pessoal se juntou de frente para o palco aguardando o início do show que demorou um bocado, já que era necessário aguardar a entrada do público que não participou do fansign.

O Tropical Butantã logo encheu. Não estava lotado, mas estava bem cheio. Antes do início do show o telão da casa foi acionado e mostrou o vídeo de um grupo cover dançando um dos maiores sucessos do UNIQ, a música EOEO e logo depois um vídeo do Wen Han, que provavelmente se desculpava pela ausência no evento. Digo provavelmente, porque não consegui ler a legenda, apesar de saber que havia uma. A imagem no telão era horrível, completamente embaçada e impossível de ver. Ponto negativo para a casa de show nesse aspecto.

Depois do vídeo o apresentador da noite, o youtuber Iago Aleixo, apareceu no palco para dar início àquela etapa do evento. E não demorou para que os membros do grupo viessem ao palco para delírio dos fãs.

A apresentação começou com EOEO e foi seguida por outros sucessos do grupo, como Born to fight, tilha sonora do filme das Tartarugas Ninja e que fez o público explodir e cantar junto. Houve também apresentações solo do Sungjoo com a música Elevator Love, Luizyn com a música Body to body e do Yibo, que enlouqueceu a plateia com seus movimentos de dança (sim, ele é maravilhoso dançando). O maknae se transforma completamente quando está no palco. Toda a timidez vai embora e ele se torna uma dance machine, que deixa os fãs hipnotizados. Eu sei que eu fiquei hipnotizada e tô tentando até agora superar aqueles movimentos.

Duante Luv Again, duas fãs muito sortudas foram escolohidas para subir ao palco e foram “cortejadas” e “disputadas” pelos meninos enquanto eles cantavam. Sinceramente não sei como elas sobreviveram a isso. Eu quase morri só de olhar e fiquei cheia de inveja, mas foi inveja boa, juro.

Além das apresentações foram realizadas brincadeiras com os membros e alguns fãs escolhidos por eles na plateia. Os fãs se divertiram e os membros, especialmente o líder Sungjoon não parou de implicar com os demais, numa disputa quase infantil para ver quem era o melhor. Ele e Luizyn implicaram muito um com o outro, especialmente depois que Sungjoo venceu uma das brincadeiras derrotando Luizyn.

Eles não paravam um minuto sequer, estavam sempre brincando, dançando ou interagindo com os fãs, mas isso não impediu que em certo momento percebessem que o empurra empurra na grade estava muito intenso. Luizyn pediu várias vezes, em um português claro, que os fãs, por favor, não empurrassem.

Num dos momentos mais engraçados e icônicos do show, Luizyn puxou um pagode (sim, pagode) e Yibo encorporou a passista e começou a sambar, até que bem para um coreano. Yixuan tentou sambar também, mas não foi tão bem sucedido e Sungjoo confundiu tudo e fez um beatbox enquanto Luizyn cantava. Foi surreal, hilário e lindo de ver o quanto eles estavam se divertindo. Luizyn pseudo-brasileiro e pagodeiro é uma coisa linda de ser ver.

Um pouco mais tarde o apresentador anunciou que os meninos fariam uma surpresa para nós. Não era tão surpresa assim, porque todos os que acompanharam os preparativos para o evento sabiam que iria acontecer. Quando a introdução de Uma brasileira dos Paralamas do Sucesso começou, os fãs foram a loucura e gritaram loucamente, inclusive eu. Adoro quando os artistas vêm pra cá e se esforçam para nos agradar cantando nossas músicas. É tão lindo e dessa vez não foi diferente.

Apesar de quase não dar pra entender o que eles diziam, ainda foi gratificante ver o esforço deles em cantar em português com a ajuda do fãs. Foi emocionante.

Depois de uma conversa no palco em que os meninos disseram quais foram suas impressões do show e como eles estavam se sentindo, o fanmeeting foi caminhando para o encerramento com a faixa Falling in Love que resumia muito bem como todos nós estávamos nos sentindo naquele momento, tenho certeza. Estou apaixonada até agora e sou Unicorn desde pequenininha.

Os membros do grupo cumprimentaram os fãs, agradeceram todo o carinho e calor que receberam e fizeram uma reverência antes de se despedirem e deixarem o palco. Eu não queria sair de lá. Queria que o show durasse mais três horas mesmo que isso fosse me matar de cansaço.

UNIQ no Brasil foi uma experiência e tanto. Já havia assistido outros shows de k-pop antes, mas essa foi a primeira vez que participei de um fansign e estive tão perto assim dos idols. Acho que comecei com o pé direito e espero que essa tenha sido a primeira de muitas oportunidades.

UNIQ = ♥

PS: os acontecimento não estão necessariamente em ordem cronológica. Contei apenas com a minha memória, que não é lá grande coisa, para escrever esse report.

Fonte para infos do grupo: UNIQbr

Anúncios

Um comentário sobre “Como foi o fanmeeting do UNIQ em São Paulo?? Unicorns surtando! <3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s